17 agosto 2017

Kafka e a Boneca Viajante ~ Jordi Sierra i Fabra


'As noções do simbólico e real, são caminhos que percorremos até chegar a aceitação das frustrações ou perdas, ou como disse a boneca Brígida “Você deve saber que viver é seguir sempre em frente, aproveitar cada momento, cada oportunidade e necessidade [...]”


Um ano antes de sua morte, Franz Kafka viveu uma experiência singular. Passeando pelo parque de Steglitz, em Berlim, encontrou uma menina chorando porque havia perdido sua boneca. Kafka ofereceu ajuda para encontrar a boneca e combinou um encontro com a menina no dia seguinte no mesmo lugar. Não tendo encontrado a boneca, ele escreveu uma carta como se fosse a boneca e leu para a garotinha. A carta dizia : "Por favor, não chore por mim, parti numa viagem para ver o mundo." Durante três semanas, Kafka entregou pontualmente à menina outras cartas que narravam as peripécias da boneca em todos os cantos do mundo: Londres, Paris, Madagascar…
Esta história foi contada para alguns jornais e inspirou um livro Kafka e a Boneca Viajante, escrito por Jordi Sierra i Fabra. No fim de muitos encontros, Kafka presenteou a menina com uma outra boneca. Ela era obviamente diferente da boneca original. Uma carta anexa explicava: “minhas viagens me transformaram…”. Anos depois, a garota encontrou uma carta enfiada numa abertura escondida na querida boneca substituta. O bilhete dizia: “Tudo que você ama, você eventualmente perderá, mas, no fim, o amor retornará em uma forma diferente”.

Sobre o autor: Jordi Sierra I Fabra é um premiado escritor com mais de 300 obras publicadas. Criou a Fundação Jordi Sierra i Fabra, em Barcelona, e a Fundação Taller de Letras Jordi Sierra i Fabra para a América Latina, na Colômbia, que desenvolvem trabalho com crianças e jovens para estímulo à leitura e à criação literária.

30 julho 2017

Para Poder Viver ~ Yeonmi Park

Para quem gosta de histórias reais, essa é uma boa leitura. “Esta é a história das escolhas que eu fiz para poder viver.” O livro narra a vida de Yeonmi Park, nascida em Hyesan, Coreia do Norte, em 1993. Nesta autobiografia, ela revela com detalhes todo o caminho percorrido para escapar de sua terra natal.

O leitor vai acompanhar a infância de Yeonmi. Vai conhecer sua família e entender um pouco mais sobre a política e o governo norte coreano. Não é uma leitura difícil, talvez seja intensa em alguns momentos, mas não é um livro longo.

Da infância, a fuga aos 13 anos para China, vamos acompanhando sua luta pela sobrevivência, o desaparecimento de sua irmã, a venda de sua mãe para uma família de chineses, o desespero, a solidão, a busca da liberdade, até a fuga pelo deserto de Gobi em direção a Coreia do Sul, que acolhe refugiados norte coreanos.

“Eu não estava sonhando com liberdade quando fugi da Coreia do Norte. Eu nem mesmo sabia o que significava ser livre. Tudo que sabia era que, se minha família ficasse para trás, provavelmente morreríamos – de inanição, de alguma doença, das condições desumanas de um campo de trabalho para prisioneiros. A fome tornara-se insuportável; eu queria arriscar minha vida pela promessa de uma tigela de arroz.”

O livro é dividido em três partes: Coreia do Norte, China e Coreia do Sul. A leitura vai possibilitar algumas reflexões acerca do regime político norte coreano e para quem nunca leu nada sobre a dinastia Kim, é um bom começo.

03 junho 2017

O Inocente ~ Harlan Coben

O Inocente, é uma leitura rica de tramas e bom conteúdo, com uma narrativa de suspense. O desenvolvimento da história se dá em uma espiral de eventos fascinante.

Matt Hunter, um jovem universitário, ao tentar separar a briga de um amigo, acidentalmente mata uma pessoa sendo condenado a quatro anos de prisão.

Depois de ter a pena cumprida, Matt refaz sua vida. Trabalha como pesquisador em um escritório de advocacia, casa com Olivia e estão se preparando para comprar uma casa.

Um dia Matt recebe um vídeo misterioso onde aparece sua esposa com outro homem e a mensagem: "adivinhe o que estou fazendo com a sua esposa nesse instante?"

Suspeitando da inocência de Olivia, Matt vai investigar o caso, com a ajuda de uma colega de trabalho, ex detetive.  As complicações começam a acontecer: Matt passa a ser seguido, uma freira é assassinada e a polícia tem Matt como suspeito.

Matt Hunter é um personagem que cativa, a forma como ele percebe o cotidiano, o desejo de acertar na vida (mesmo sabendo de suas limitações de ex-condenado) vão caracterizando a história em uma saga policial de busca pela verdade que vai prender sua atenção.

Sobre o autor: Harlan Coben é vencedor de diversos prêmios, é o único escritor a ter recebido a trinca de ases da literatura policial americana: o Anthony, o Shamus e o Edgar Allan Poe, todos por livros da série de Myron Bolitar. Suas obras já foram traduzidas para 41 idiomas. Aclamado na França, Coben é conhecido como “o mestre das noites em claro”. Harlan nasceu em Newark, Nova Jersey. Depois de se formar em ciência política, trabalhou no setor de turismo. Hoje mora em Nova Jersey com os quatro filhos e a esposa.

Harlan Coben:
  1. Livros não lançados no Brasil: Play Dead (1990)/ Miracle Cure (1991)
  2. Não Conte a Ninguém (2001)

Harlan Coben - Série Myron Bolitar:
  1. Série MB - Quebra de Confiança (1995)
  2. Série MB - Jogada Mortal (1996)
  3. Série MB - Sem Deixar Rastros (1996)
  4. Série MB - O Preço da Vitória (1997)
  5. Série MB - One False Move (1998)
  6. Série MB The Final Detail (1999) 
  7. Série MB - Darkest Fear (2000) 
  8. Série MB - A Promessa (2006)
  9. Série MB - Quando Ela se Foi (2009)
  10. Série MB - Alta Tensão (2011)


Harlan Coben - Série Mickey Bolitar:

  1. Refúgio (2011)
  2. Uma Questão de Segundo (2012)
  3. A Toda Prova (2014)

04 maio 2017

Uma Dobra no Tempo ~ Madeline E’ngle

David (meu filho) ganhou Uma Dobra no Tempo de presente de aniversário, como ele está lendo As Crônicas de Nárnia, de C.S Lewis decidi ler.  Sem nenhuma dúvida trata-se de um clássico da literatura infanto-juvenil e vale cada página, em breve estará saindo um filme! 
O livro aborda a história de Meg Wallace (Uma menina franca demais pra fingir ser o que não é), Charles Wallace e Calvin O'Keefe. Meg sente dificuldade de adaptar-se na escola, ela é considerada diferente e estranha. Não tem amigos e vez por outra sofre com o preconceito dos colegas de classe. Sua alegria é conversar com Charles, seu irmão.

O sonho de Meg é reencontrar seu pai, um cientista desaparecido, que estudava o túnel do tempo. A oportunidade aparece quando Meg e Charles, encontram Sra. Quéisso, Sra. Quem e Sra. Qual, exóticas moradoras do bairro que se aventuram na busca do Sr. Murry. 

Juntos o grupo inicia uma viagem pelo tempo com muitas aventuras, lutas entre bem e mal, autoconhecimento, aceitação, perseverança e coragem. Vale a diversão da leitura, vale a reflexão sobre a convivência com quem é diferente, com quem é igual, com quem não se ocupa a não ser de si mesmo. Vale a reflexão que o livro nos convida a fazer.

Durante as viagens pelo tempo, vamos encontrando, diferentes, iguais e vamos nos percebendo deslocados, estranhos, aceitos...  um dos meus personagens favoritos é Sra. Quem que fala através de citações e provérbios. 

Uma curiosidade,  esse é considerado um dos livros favoritos de Suzanne Collins, autora da Trilogia Jogos Vorazes 


20 abril 2017

A Confissão ~ John Grisham

Uma ótima história… sem nenhuma dúvida, intensa.

A Confissão aborda a luta judicial do advogado Robbie Flak, para tirar do corredor da morte, seu cliente Donté Drumm (26 anos).

Donté foi preso há 9 anos e condenado pela morte de Nicole Yarber, líder de torcida de sua High School, onde ele estudava e jogava Football Americano.

O verdadeiro assassino, Travis Boyette (44 anos), com um tumor inoperável no cérebro, confessa o crime ao Pastor Keith Schoroeder (35 anos). A principio Keith não acredita na história, mas investiga e descobre que Travis já havia sido acusado e condenado a prisão por assédio sexual e violência sexual.

No momento ele está em liberdade condicional e para piorar,  não demostra estar livre da vontade de voltar a cometer os crimes de que foi acusado.

O problema é que Travis não pode sair do estado e para Keith leva-lo ao Texas estará cometendo um crime. Para complicar, Travis informa que não contará o que sabe se não for na presença do Pastor.

O que fazer? Correr o risco de viajar com um criminoso? Perder a oportunidade de tentar salvar da morte um homem inocente? Cometer o crime de tirar Travis do estado? O que você faria?


Outras resenhas de John Grisham, por ordem de publicação do autor:
1. Tempo de Matar (1989)
2. A Firma (1991)
3. O Dossiê Pelicano (1992)
4. O Cliente (1993)
5. A Camara de Gás (1994)
7. O Júri (1996)
8. O Sócio (1997)
9. O Advogado (1998)
10. O Testamento (1999)

10 abril 2017

Sobrevivi Para Contar ~ Immaculée Ilibagiza

Uma leitura surpreendente. Vale cada página. Immaculée conta, como sobreviveu ao massacre de sua família, durante o genocídio de 1994 em Ruanda, país da África.

Nascida em Kibuye, uma província da Ruanda Ocidental, Immaculée aprendeu na escola que seu povo estava dividido entre Hutu, Tutsi e um pequeno grupo de Twas, etnias que embora cantassem as mesmas canções, frequentassem os mesmos lugares, cultivassem a mesma terra, consideravam algumas diferenças políticas irreconciliáveis .

Na comemoração da Páscoa, o conflito se alastrou. O presidente que era da etnia Hutu e pregava moderação, foi assassinado e o novo governante, passou a armar a população Hutu e a incitar violência contra os Tutsi e Twas. Vizinhos, colegas de escola e até amigos se transformaram em inimigos e até assassinos.

O conflitos étnico culminou em um holocausto que deixou mais de 1 milhão de mortos, em ataques de violência brutal. A família de Immaculée, chegou a abrigar milhares de Tutsi no quintal da casa, mas desarmados, foram dizimados pela violência dos Hutus e aliados.

Immaculée sobreviveu por ter sido enviada por seu pai para a casa de um pastor Hutu. Ela e outras seis mulheres ficaram escondidas em um pequeno banheiro de 1,5 por 1 metro no quarto do pastor. Como poucos sabiam da existência do banheiro o pastou colocou um guarda roupa em frente da porta. Lá ficaram por 91 dias, se comunicavam por sinais. Mal conseguiam se mover no pequeno espaço. Nesse livro ela conta como sua fé a salvou e a fez perdoar seus algozes. Um relato forte e impressionante. Atualmente ela mora nos Estados Unidos com o marido e os dois filhos, e direciona seus esforços para a organização que criou, Fundação Ilibagiza, que ampara sobreviventes de guerras e genocídios.





30 março 2017

TRILOGIA O SÉCULO ~ Ken Follett

Para quem gosta de ficção histórica esse é uma boa trilogia. Não se assuste com o número de páginas. Em nenhum momento a história fica aborrecida ou perde o rumo.

A saga é composta de 3 livros: A Queda dos Gigantes, Inverno do Mundo, Eternidade por um Fio. (são mais de 3 mil páginas)

No primeiro livro, A Queda de Gigantes, acompanhamos a história de alguns personagens bem interessantes; entre aristocratas, donas de casa, feministas e sonhadores, vamos percebendo a mudança de atitude impostas pelo cotidiano, especialmente pela guerra.

A Primeira Guerra Mundial é o cenário do livro e não só nos traz a memória os horrores da guerra, como nos faz refletir sobre os interesses políticos, colocados acima do bem estar da população.

Temos ainda, uma boa apresentação da Revolução Russa, de como Lenin coordenou as ações, de sua personalidade, de seus sonhos.

Muitas vezes você vai puxar da memória as aulas de história que teve e vai no google complementar informações . Muitas vezes vai se indignar com alguns personagens e torcer por outros. Vai ainda refletir sobre a crueldade da guerra.

Vale a leitura. Acredito que quando terminar o primeiro livro você vai querer continuar a leitura da sequência na história no segundo livro, porque então estará convencido de que os personagens vão 'contar' mais.

O segundo livro da trilogia é Inverno do Mundo, ambientado na Segunda Guerra Mundial e no despertar da era nuclear. O livro continua a saga dos personagens do livro um – das famílias norte americanas, alemãs, russas e inglesas – com o acréscimos de novas gerações.

Nessa obra revisitaremos a ascensão do Terceiro Reich, da Guerra Civil Espanhola e da Segunda Guerra Mundial. Uma obra bem descrita e detalhada. Dos 3 livros foi o que mais gostei.

Carla Von Ulrich, filha de pai alemão e mãe inglesa, é uma das personagens fortes desse livro, capaz de uma conduta altruísta e dona de uma personalidade forte e honesta. Os pais de Carla são responsáveis pelo romance mais bonito do primeiro livro.

Woody e Chuck Dewar, irmãos norte americanos, nos levam perto do desenrolar da história em Washington e Pearl Harbor. A batalha de Pearl Harbor é tão detalhada que por momentos nos sentimos lá. Follett faz uma rica narrativa. Somos ainda transportados para a Guerra Civil Espanhola, narrada na aventuras do inglês Lloyd Williams, que reconhece as falhas tanto do comunismo quanto do fascismo.

Deyse Peshkov, filha de um personagem, para mim, ‘no mínimo’, o mais aborrecido e vilão do primeiro livro, é responsável por grandes mudanças pessoais nesse livro. A forma como Deyse amadurece é reveladora de um forte caráter. Gostei muito da personagem.

Por fim, Volodya, membro da inteligência do Exército Vermelho, nos leva mundo histórico da URSS e nos dá uma verdadeira aula de espionagem.

Como no primeiro livro, vale cada página. Sim é uma leitura longa, mas com persistência e amor pela história a narrativa é fantástica.

O terceiro livro Eternidade por um Fio conclui a história da saga com uma boa narrativa da turbulência social, política e econômica entre as décadas de 1960 e 1980, com a luta pelos direitos civis, assassinatos, movimentos políticos de massa,  guerra do Vietnã, Muro de Berlim, Crise dos Mísseis de Cuba, impeachment presidencial, revolução… e rock and roll!


Kafka e a Boneca Viajante ~ Jordi Sierra i Fabra

'As noções do simbólico e real, são caminhos que percorremos até chegar a aceitação das frustrações ou perdas, ou como disse a bo...